segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

[2018] TBR Jar Challenge

É verdade, este é um desafio trabalhoso mas quero voltar a fazê-lo mesmo que não consiga completá-lo. Seja como for, é sempre bom ler.
O TBR é o acrónimo de To be read (a ser lido), e o desafio consiste em escrever títulos de livros que temos por ler, em pequenas tiras de papel, dobrá-las, colocá-las num recipiente, e ir retirando aleatoriamente. O título que sair é o próximo livro a ler, sem batota.
Isto é muito bom para ajudar a baixar a pilha que está em lista de espera, mas pode-me acontecer não estar com disposição para ler o livro que saiu. Então vou usar uma versão modificada do desafio, na qual escrevo nos papéis um tópico generalizado, permitindo-me uma escolha do título dentro desse tema. Muito mais adequado a mim :)

Proponho os seguintes tópicos:

* Ler um livro de literatura distópica - 
* Ler um livro retirado aleatoriamente da estante - 
* Ler um livro que nunca terminei - 
* Ler um livro de um autor novo para mim - 
* Ler um livro de um autor que já li mas noutro registo (exemplo: outro género literário ou para diferente faixa etária) - 
* Ler um livro escolhido por outra pessoa - 
* Ler um livro de um autor que não seja europeu nem norte-americano - 
* Ler um livro de uma série que já tenha iniciado - 
* Ler um livro escolhido por ter a capa bonita - 
* Ler um conto - 
* Ler um livro emprestado - 
* Ler um livro infantil (ou infanto-juvenil) - 
* Ler um livro de um autor europeu - 
* Ler um livro sugerido pelo Goodreads - 


O aspecto do meu TBR jar deste ano é este





Ao tirar um papel, vou tentar sempre associar o título ao respectivo tópico, na própria opinião.
Farei como nos outros desafios, à medida que vou lendo, vou actualizar com o link directo para os títulos, para que possam ver a opinião.
Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

[2018] Desafio literário - Diversidade literária

Está mais que visto quais são os meus géneros literários predilectos, então este desafio permite abranger outros estilos literários e assim trazer mais variedade às nossas leituras.
O desafio pode sofrer alterações de acordo com a minha disponibilidade, poderei não conseguir ler algo diferente todos os meses, mas tentarei ler a cada dois meses. Eventualmente poderei trocar a ordem de leitura de algum mês. Aceito sugestões :)
À medida que vou lendo, venho cá actualizar com o link directo para os títulos para que possam ver a opinião.
Por agora as propostas são:


Janeiro: Romance sobrenatural
O circo de sonhos, Erin Morgenstern

Fevereiro: Distopia


Março: Retelling


Abril: Ficção científica


Maio: Mistério


Junho: Young adult



Julho: Infanto-juvenil


Setembro: Literatura fantástica



Outubro: Romance contemporâneo



Novembro: New adult



Dezembro: livre


Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

[2018] Desafio literário - Novos autores

O desafio "Novos autores" consiste em ler obras de autores que nunca lemos anteriormente. Quer seja por curiosidade ou sugestões de terceiros, a ideia é conhecer outros trabalhos.
Tal como nos outros anos, decidi ler pelo menos entre 8 a 10 novos autores, e proponho-me a realizar o desafio no decorrer do ano. 
À medida que vou lendo, venho cá actualizar com o link directo para os títulos das minhas estreias, para que possam ver a opinião.

Os eleitos para 2018 são:

- O circo de sonhos, de Erin Morgenstern










Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, e serão remetidos para o seu respectivo link.

[2018] Desafio literário - Desafio das cores

Leitores,

O desafio das cores é um dos desafios que me dá mais gosto de fazer e é bem divertido pois relaciona livros com cores.
Este desafio consiste em ler nove livros, estando cada um relacionado com uma cor, quer seja integrante do título do livro ou sendo a cor dominante na capa.
O desafio foi proposto por um blogue estrangeiro e assim que o vi, soube que tinha que realizá-lo! Só que modifiquei alguns exemplos sugeridos e fiz uma alteração na alínea 9, antes dizia apenas um livro com palavra que implica cor, adicionei a opção uma capa que implica cor.

Sendo que a cor terá que ser uma palavra integrante do título do livro ou a cor dominante na capa, as categorias são:


1 - um livro com azul ou tons relacionados (ciano, azul marinho, turquesa...)



2 - um livro com vermelho ou tons relacionados (cor de vinho, carmesim, borgonha...)



3 - um livro com amarelo ou tons relacionados (limão, dourado...)



4 - um livro com verde ou tons relacionados (lima, esmeralda...)



5 - um livro com castanho ou tons relacionados (avelã, chocolate...)



6 - um livro com preto ou tons relacionados (carvão, ébano...)

O circo de sonhos, Erin Morgenstern

7 - um livro com branco ou tons relacionados (pérola, marfim...)



8 - um livro com outra cor qualquer ainda não mencionada (rosas, arroxeados, laranjas, prateados, cinzas...)



9 - um livro com uma capa ou palavra que implica cor (arco-íris, riscas, xadrez, às bolinhas, estampado, pálido, sombreado...)



Notas:

Qualquer livro é válido de Janeiro a 31 Dezembro.
É possível que livros deste desafio constem de outros.

À semelhança dos outros desafios, à medida que vou lendo vou actualizar com o link directo para os respectivos títulos, para que possam ver a opinião. 


Sempre que quiserem ver os desafios e o seu progresso, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue.

[2018] Desafio literário Janeiro - Literatura fantástica/Romance sobrenatural



Gente,

Assim começa um novo ano, sinónimo de desafio literário da praxe! iniciamos o ano novo com um desafio literário para Janeiro, que à semelhança dos anos transactos, integra o desafio Diversidade literária:
uma maratona mensal relativa à literatura fantástica/Romance sobrenatural!
Pode ser lido qualquer título, desde que seja restrito às referidas categorias, quer seja um livro apenas, vários diferentes, ou mesmo uma saga, a escolha é vossa e sei que está limitado pela disponibilidade de cada um.

Planeio ler:
- O circo de sonhos

-

Sempre que quiserem ver os desafios e o progresso dos mesmos, basta ir ao separador Desafios literários, logo abaixo do nome do blogue, que serão remetidos para o seu respectivo link.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman - Opinião

Título original - The ocean at the end of the lane
Sinopse: Este livro é tanto um conto fantástico como um livro sobre a memória e o modo como ela nos afeta ao longo do tempo. A história é narrada por um adulto que, por ocasião de um funeral, regressa ao local onde vivera na infância, numa zona rural de Inglaterra, e revive o tempo em que era um rapazinho de sete anos. As imagens que guardara dentro de si transfiguram-se na recordação de algo que teria acontecido naquele cenário, misturando imagens felizes com os seus medos mais profundos, quando um mineiro sul-africano rouba o Mini do pai do narrador e se suicida no banco de trás. Esta belíssima e inquietante fábula revela a singular capacidade de Neil Gaiman para recriar uma mitologia moderna.

Opinião:
Li esta obra em pouco tempo, achei misteriosa e queria saber o que se ia passar de seguida. 
Um rapaz fica amigo de Lettie mas a sua família é deveras incomum. Algo estranho está a acontecer na vizinhança e está relacionado com um ser que não é deste mundo. 
Os dois vão ao seu encontro para que Lettie possa bani-lo mas algo acontece e a criatura passa para a nossa dimensão. Isto desencadeia toda uma série de ocorrências que dão o mote para a história.
Bem, nem sei por onde começar! Acima de tudo achei que esta era uma história acerca da amizade. Apesar de terem convivido por um período de tempo, as duas crianças criaram laços bastante fortes. 
Fiquei a reflectir no valor da amizade mas sobretudo no altruísmo, o auto-sacrifício para assegurar o bem estar do próximo. Apenas no final do livro é que temos a revelação bombástica do que de facto se passou há cerca de quatro décadas.
A avó da Lettie é muito perspicaz e vivida, disse algo do género, não há duas pessoas que experimentando a mesma situação tenham a mesma memória dos eventos, vão lembrar-se cada um à sua maneira. Este é deveras um facto.
Entendo que a Lettie e a sua família, as Hempstock eram algum tipo de entidades. Todo o conhecimento e percepção que tinham do mundo e do universo era surreal! Gostei destas personagens e a descrição da Lettie quando vista de dentro do oceano, algo de fantástico. Nota-se que o autor criou este mundo com carinho mas achei partes da história um pouco confusas. Proporcionou uma boa leitura.

domingo, 17 de dezembro de 2017

Conta-me três coisas, de Julie Buxbaum - Opinião

Título original - Tell me three things
Editora: Topseller
Sinopse: E se a pessoa de que mais precisas for alguém que não conheces?
Passaram apenas dois anos desde a morte da sua mãe e o seu pai volta a casar-se com uma mulher que conheceu online. Jessie é então forçada a mudar-se para a outra ponta do país, para morar com a madrasta e o seu pretensioso filho adolescente, aparentemente passado da cabeça.
Para Jessie tudo parece errado: sente-se uma estranha naquela casa enorme e fria, tem saudades da sua melhor (e única) amiga. A escola é uma selva autêntica, onde é vítima de bullying. Mas é então que recebe um e-mail de alguém que não conhece, nem se quer deixar conhecer, disponibilizando-lhe apenas a sua amizade virtual.
O que Jessie não espera é que será este e-mail a mudar a sua vida para sempre.
Esta é uma história memorável, que não deixa ninguém indiferente. Um misto de comédia e tragédia, amor e perda, dor e alegria.


Opinião:
Cerca de dois anos após a morte da mãe da Jessie, o seu pai casa-se com uma mulher rica que mora noutro estado e eles mudam-se para lá. Sem conhecer ninguém, a Jessie passa por um mau bocado, sentido-se sozinha e vítima de comentários desagradáveis por parte de algumas colegas.
Eis que alguém começa a enviar-lhe emails com dicas de como sobreviver no liceu, quem evitar, com quem travar amizade...um ombro amigo online. A única condição que impõe é não revelar a sua identidade. 
Quis ler este livro no âmbito de ser um lançamento recente e claro, a sinopse era apelativa. Julgo que muitos de nós já passamos pela fase de ter amigos online e que em algum momento não sabiamos quem eram. Esta leitura fez-me recordar um pouco esse tempo, ainda que as situações fossem completamente diferentes.
Por vezes parecia mais fácil desabafar ou apenas falar com alguém que estava do outro lado do ecrã do que com alguém cara a cara, e depois era como a protagonista disse, dava mais tempo de refletir e pensar antes de responder.
Seja como for, a Internet veio aproximar as pessoas mas ao não saber quem está do outro lado, as pessoas podem estar a abrir as portas para predadores e todo o tipo de criminosos, o que é especialmente perigoso para as crianças que são as que têm menos noção e sentido de realidade. 
Achei que os cidadãos da nova cidade foram criados de modo muito genérico e estereotipado, parecia não haver muita variedade, sendo que todos pareciam ter saido do mesmo molde, se é que me estou a fazer entender. Não era de admirar que a Jessie se sentisse desajustada e solitária.
O livro aborda alguns temas como a homossexualidade e o bullying, apesar de não serem os aspectos centrais da narrativa, não costumam aparecer nos livros que tenho lido ultimamente. Foi bom que a autora tenha posto personagens a fazer frente a essa gentinha reduzida e a colocar um ponto final no assunto. Todos merecem ter paz de espírito.
Um aspecto que me interessou foi o facto da Jessie nutrir sentimentos pelo rapaz misterioso, sem saber quem era. Não num sentido de ser ingénua mas pelo facto de que se apaixonou somente pela personalidade dele. Devo salvaguardar que era sabido que eram colegas de escola e a certo ponto ele ia revelar quem era, num local público.
Outra coisa agradável é que muitas das suas conversas sejam em três tópicos, que aliás é o que dá o título à obra "conta-me três coisas". Uma maneira engraçada de se dar a conhecer.
Esta foi uma história que proporcionou momentos agradáveis de lazer. Aconselho.