quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Para sempre [Once upon 1], de Nora Roberts - Opinião

Título original - Ever after
Saga: Once upon #1
Sinopse: Allena sente-se só e marginalizada num mundo onde não parece encontrar lugar. Com a ajuda de um amuleto mágico, viaja até outro mundo onde conhece Conal, um artista atraente. Allena não consegue resistir à paixão que sente por ele, mas Conal sabe que é seu destino jurar fidelidade ao amor da sua vida na noite mais curta do ano. Mas conseguirá ele aceitar que o destino controle a sua vida ou irá deitar tudo a perder, renunciando aos seus sentimentos por Allena?

Opinião:
Gostei do conto que li desta colecção, Em sonhos e resolvi ler mais. É assim que após leitura do mesmo, surge aqui a minha opinião.
A Allena é uma mulher muito distraída e como se costuma dizer, "de cabeça sempre no ar", que não tem tido muita sorte na sua vida, principalmente no que concerne a manter empregos. 
Ao trabalhar com a sua irmã Margaret, vê uma oportunidade de ouro para mostrar o seu valor, provar que é responsável e que não irá desiludir mais ninguém. Contudo ao perder a noção do tempo, perde a viagem laboral de barco e ao arranjar alternativa, acaba num local completamente inesperado devido a um evento místico. 
Na ilha Dolman, é salva de uma tempestade pelo solitário Conal, um homem que vive aborrecido por estar associado a uma lenda familiar. O que mais lhe irrita é pensar que está predestinado a se entregar a uma mulher durante o solstício de Verão, «quando a estrela se mostra». A referida estrela é nada mais nada menos do que o pendente que a Allena adquiriu recentemente...
Uma história de amor sobre um homem carrancudo e em parte amargurado, e uma mulher que sente não se encaixar em local algum, excepto ali na ilha, junto do estranho que acaba de conhecer. Ela é tão sonhadora, que acredita na lenda e acaba por apaixonar-se facilmente. Já ele desdenha a lenda e voltou a casa para provar que ele próprio é capaz de escolher.
Há uma entreajuda entre os protagonistas a ultrapassar aspectos da sua vida. Gostei particularmente quando o Conal faz a Allena descobrir-se, fá-la se aperceber que ela não é completamente incapaz como se julgava, e fá-la valorizar-se, e ela ajudou-o a encontrar-se :)
O par vai-se conhecendo, vive momentos sensuais em clima romântico, e apesar de acharem que o seu tempo juntos é escasso, a intensidade do seu relacionamento cresce de tal forma que só faz o leitor querer saber que desfecho irá ter a obra.

2 comentários: